O carro que era considerado um artigo de luxo na década de 60, passou de luxo a necessidade e transformou a maioria das cidades do mundo em um caos urbano, por mais que ser alargassem as pistas, por mais que criassem novas vias, tudo era em vão para resolver e humanizar o trânsito das cidades.

Então, várias cidades do mundo, principalmente na Europa, começou o processo de caminho inverso,  o carro foi considerado vilão do bem estar social e coletivo e começou a ser proibido nas áreas centrais de grandes cidades, esse cerco de expulsão está se ampliando cada vez mais

Na contramão e com políticas ainda muito tímidas, o Brasil atualmente se vangloria nos noticiários de bater records acima de records na produção nacional de veículos automotores.

Nossas cidades se tornam cada dia mais insuportáveis e desumanas, milhares de carros com apenas uma pessoa, pedestres correndo por entre as vias.

É o mapa do Brasil atualmente. Na Europa como já publicamos aqui, a indústria do ciclismo gera milhares de empregos.

E claro, os argumentos para usarmos carros tão intensamente no Brasil são os mais variados, que o transporte coletivo é inseguro e ineficaz, que há superlotação etc e tal.

Mas será mesmo só isso ou ainda o carro no Brasil exerce um poder de status social que a classe média brasileira não deseja perder?

Eu por exemplo quando estudei na Itália, por diversas vezes peguei ônibus mais cheio do que em diversas ocasiões no Brasil.

Como o Brasil esta sempre atrasado e pouco criativo em medidas públicas, começamos a ver algumas ciclovias sendo construídas timidamente.

Mas medidas realmente ousadas e eficazes em prol de cidades humanizadas sem carro são ainda muito raras.

Como diz a fantástica frase:

País desenvolvido não é quando pobre anda de carro, mas sim quando rico anda de transporte público

1. Madri , Espanha


Madri proibiu os carros em algumas das ruas do centro da cidade e esta proibição se estendeu mais um quilômetro quadrado em Janeiro/2015.

A regra permite que os residentes possam entrar de carro, mas quem não for morador a multa é de USD$ 100,00

Este é um dos primeiros passos de um plano mais amplo para transformar o Centro de Madri em área exclusiva de pedestres nos próximos 5 anos. 

Para 2015 Madri está planejando ter 352 hectares com acesso restringido a carros.

fuencarralFonte 

2. Paris, França


O ano passado Paris teve um dos episódios mais críticos de poluição do ar na historia.

Como resposta a este problema, restringiram os carros por alguns dias e ofereceram transporte público de graça durante o estado de emergência.

A poluição foi reduzida em 30% e graças a esta medida, a cidade propõe diminuir o uso do carro.

As pessoas que não moram no centro da cidade não podem entrar de carro durante o final de semana.

Existe esta medida e os planos “Zona de encontro” (zonas de total preferencia a ciclistas e pedestres com velocidade maxima de 20 Km/hr) e “Zona 30” (zonas de velocidade máxima 30 km/hr).

Para 2020 está previsto duplicar as ciclovias na cidade. Em 2001, 40% dos parisienses não eram proprietário de um carro. Hoje 60% não possui carro. 

1388680538_paris_ranking_lpFonte 

3. Chengdu, China


Uma nova cidade satélite no sudoeste de China, foi desenhada especialmente para pedestres e para não precisar de carro, pois todos os serviços necessários se encontram a 15 minutos de caminhada.

O plano, desenhado pelos arquitetos Adrian Smith y Gordon Gill, não proíbe os carros completamente mas só a metade das ruas permitirá veículos motorizados.

A cidade estará bem conectada com outras cidades mas a idéia principal é que de uma população prevista de 80 mil pessoas, a maioria delas seja capaz de ir caminhando para o trabalho.

 shopping in Chengdu1Fonte

4. Hamburgo, Alemanha


Hamburgo está  fazendo cada vez mais fácil uma vida sem carro.

Uma nova “rede verde” que estará completamente terminada nos próximos 15-20 anos, conectará os parques de toda cidade para ser possível ir neles caminhando ou de bicicleta.

A rede cubrirá  40% do espaço da cidade. O plano é eliminar o uso do carro em nos próximos 20 anos.

Hamburg: HafenCity, DalmannkaiFonte 
Hamburgo3Fonte

5. Helsinki, Finlândia


Helsinki espera muitos novos residentes nas próximas décadas, só que a regra será que quantos mais residentes a cidade receber, menos carros serão permitidos.

Um novo plano estabelece um design urbano que transforma cidades satélite dependentes do carro em comunidades densas, caminháveis e vinculadas ao centro.

Um novo aplicativo para smartphones está sendo testado, este, permitirá aos cidadãos pegar facilmente um carro compartilhado, uma bicicleta compartilhada ou um taxi compartilhado, também será possível encontrar o trem ou ônibus mais próximo.

Helsinki espera que daqui a uma década seja completamente desnecessário ter um carro. 

helsinki_bike_pedestrian_lanesFonte 

 6. Milão, Itália


Milão está testando uma nova forma de manter os carros fora do centro da cidade prometendo aos condutores que se deixarem seus carros em casa, serão recompensados com bônus gratuitos de transporte público.

Através do sistema de localização  de carros, será possível saber se o auto foi usado para ir pro trabalho ou não e assim por cada dia que o auto ficou em casa, é enviado ao condutor um vale do mesmo valor que uma passagem de transporte público.

d516ed0efb54aa7d949f9532aee2df21Fonte

7. Copenhague, Dinamarca


Há 40 anos, o trânsito era tão ruim em Copenhague como em qualquer outra cidade.

Hoje, mais da metade da população vai pro trabalho de bicicleta.

Copenhague começou introduzir áreas de pedestres na década de 1960 no centro da cidade.

As zonas livres de carros se estenderam lentamente por toda cidade nas seguintes décadas.

Além de muitos quilômetros de ciclovias, construíram novas “bicipistas” (estradas de alta velocidade para bicicletas) para chegar nas cidades satélite.

Copenhague possui uma das taxas mais baixas de proprietários de carros na Europa.

01-3Fonte 

Comentários