Que a música melhora nosso ânimo, isso ninguém duvida. A música acompanha o ser humano desde os tempos mais remotos, cerimônias e rituais antigos sempre havia algum som acompanhando.

Mas será que a música pode ser usada como medicamento ?

A pesquisadora Vera Brandes, diretora do programa de pesquisas com música e medicina da Universidade Paracelsus, na Áustria diz que sim.

Vera pesquisou pessoas com quadro de depressão e hipertensão e começou a receitar músicas como medicamento, isso mesmo. O paciente ao invés de sair com uma receita prescrita de medicamentos, ele sai com um aparelho de MP3 contendo a receita (playlist) para ouvir durante 30 minutos ao dia. As músicas são originais e criadas especificamente para aquele paciente

Segundo seu estudo, depois de ouvir um programa musical criado especialmente para o paciente, por 30 minutos por dia, cinco dias por semana, durante quatro semanas, os pacientes apresentaram melhoras significativas na variação do ritmo cardíaco, um indicador importante da função nervosa autônoma.

Para promover a linha de produtos, ela ajudou a fundar a Sanoson (www.sanoson.at), empresa que também cria sistemas de música originais para clínicas e hospitais.

Segundo Vera o tratamento funciona, pois muitas doenças derivam da mente e a música tem um forte poder de atuação sobre a ela.

musica-contra-doencas-1Foto
musica-contra-doenca-4Foto
musica-contra-doencas6Foto
musica-contra-doencas-7Foto

Música em 528 Hertz


Segundo o Dr. Leonard Horowitz, música na frequência de 528 Hertz é uma frequência reparadora do DNA, ou seja, a “matriz matemática musical da criação”

Feche os olhos e ouça uma música na frequência de 528 Hertz.

Comentários